Seguidores

sábado, 15 de julho de 2017

O TEMPO PASSA E NADA MUDA.

São sempre os mesmos problemas, crises econômicas, falta de dinheiro, desemprego, moradia, pobreza, miséria, brigas, ganancia, egoísmo, falta de caráter, honestidade e principalmente falta de amor a Deus e ao próximo.
Sempre foi assim e sempre será, pessoas destrutivas e que só ver seu próprio umbigo, anos atrás, a única diferença era que algumas pessoas mesmo lhe faltando tudo conseguia ser feliz.
Além de comer, e se vesti mal, ainda assim eram felizes com suas brincadeiras inocentes, e namoros imaginários.
  Os que moravam em sítios ou pequenos povoados, sete horas da noite, acendiam seus candeeiros ou vela, os que morava em cidades pequenas nem luz elétrica existia, e tinha a motor, dez horas da noite todos tinha que acender seus candeeiros ou lampiões.
O banheiro em sítios era uma moita de mato, e para se limpar folha, ou sabugo de milho, o banho era de cuia, ou nos rios.
A noite era o pinico, e triste dos pais que os filho faziam xixi na rede, ou sofrimento! Camas só para os casais.
Então a criança passava o resto da noite gelado, ou ariscava pegar o pequeno lençol de saco que se cobrir para forrar a rede, e ai ficava dormindo descoberto.  
Isso quando a rede de tão velha não se rasgava e você caia no chão, não tenho vergonha de dizer isso aconteceu comigo.
E quem pensa que recém-nascido usava fralda, enganou-se, feliz de quem podia comprar chita e fazer paninhos (cueiros) se não tinha que se contentar com resto de pano velhos.
 O engraçado era que nem assim, os filhos cresciam revoltados e apelávamos para roubar, ou fumar algum tipo de cigarro.
Roupa, felizes de quem tinha duas mudas, e sapato? Feliz de quem tinha um chinelo, na cidade o banheiro era uma casinha precária fora da casa, e banho de bacia, final dos anos sessenta, eu acredito que tudo foi mudando, e já existia em algumas cidades luz elétrica, e um chuveiro, bem vagabundo.
E, obvio quem podia, tomava café da manhã, almoçava e jantava, mas a maioria só lasqueira mesmo, mas se uma coisa sempre existiu, foram pessoas, pisando e se achando melhor uns que os outros.
Isso passa anos, décadas e séculos e o povo não muda, mesmo alguns atravessando e passando momentos triste na vida, o nariz continua pra cima.
Final do mês tem a continuação.

Joana D,arc Nunes de Araújo Alves Ferreira.


sexta-feira, 7 de julho de 2017

PERDER ALGUÉM ESPECIAL.

Quem nunca perdeu jamais saberá do que irei falar, e ainda mais, se você não crê em Deus, não tem fé no amor e na importância de Deus nesse momento, meu filho! Fica impossível.
Quando eu perdi o meu marido a vinte e três anos atrás, Deus não me abandonou um só momento, e com seu amor, suas mãos fortes me amparando me fizeram seguir em frente e ficar de pé.
Sofri muito, e não por sido uma má esposa ou acreditar que eu, ou ele, merecíamos algo assim, sofri por que eu me senti nua, sem vida e sem chão, afinal de contas eu havia ficado com três filhos, sendo dois adolescentes e uma criança.
   Mas Deus, esse não deixou que eu caísse, e mesmo sabendo da minha situação financeira colocou verdadeiros anjos na minha vida, e, enviou pessoas do bem para me ajudar, e o mais importante meus pais e irmãos.
Nessa hora quem tem muito dinheiro não sabe como é difícil, além de perder um ente querido tem a dor de pensar o que será da vida dos seus filhos.
 Hoje mais uma vez estou sentindo como é bom ter Deus ao meu lado, Ariadne não saiu de mim, mas foi tão importante e especial como os meus filhos são.
E minha pequena grande Guerreira e principalmente Deus, estão me dando todo apoio e força que eu jamais imaginei sentir, e mesmo tendo perdido alguém tão especial não me sinto perdida, é como se tivesse ganhando mais um grande aliado no céu.

Joana D’arc Nunes de Araújo Alves Ferreira.

sábado, 24 de junho de 2017

SONHOS.


Sonhar, quem sonha muito? Eu sonho a noite toda, são sonhos lindos e geralmente ao acordar me lembro o que sonhei, e foi baseado em alguns sonhos que escrevi cinquenta histórias.
E sonho demais com quem já morreu, o meu marido por exemplo, até hoje eu sonho com ele, e o mais engraçado, é que muitos vezes sonho que ele não morreu e vivi em algum lugar com outra família.
E muitas vezes ele fugindo de mim e dos nossos filhos, já tentei ler o significado, me informar com algumas pessoas para ver se consigo entender o porquê desses sonhos, mas até hoje ninguém soube me explicar.
Sonho muito com uma prima de primeiro grau erámos muitos amigas, e sofri um bocado quando ela faleceu, e para aliviar a dor, eu escrevi uma história para ela, nos meus sonhos com ela, eu sei que ela está morta, ela sempre vem me ver, rimos conversamos, e eu me preocupo, pensando que as pessoas ao me redor pensam que estou doida por eu falar sozinha, e falo Socorro você já morreu vai embora o que o povo vai pensar de mim?
Boba! Só quem me ver é você e ninguém te ver falado comigo, e claro que eu sei que estou morta, eu só vim te ver, saber como você estar, minutos depois, ela diz Joana D’arc eu vou embora, e desaparece numa nuvem, esses sonhos se repetem sempre.
Sonho muito com minha tia Alta, eu vim morar com ela em São Paulo com dezessete anos, algumas vezes sei que ela já morreu, outras não.
Agora é com minha Guerreira Ariadne, outro dia sonhei com ela andando num lindo cavalo branco, e ela toda de branco, e eu pergunto e suas escaras, que ela tinha duas, uma nas costas e outra na coxa, ela ri e diz depois que eu morri sarei.
Outro dia sonhei, ela linda também de branco sentada numa nuvem, eu ia passando, ela ria e dizia; Dadá eu estou aqui no céu, mas estou cuidando de você.
São sonhos que eu queria tanto entender e saber o significado, vai fazer dois meses que minha Guerreira morreu e já sonhei com ela três vezes, mais com outras pessoas sonho também, me refiro pessoas mortas.
Graças a Deus não tenho medo, e amo sonhar com pessoas tão queridas que já partiram dessa vida, não sei se para melhor, mas acredito que sim.
 É difícil perder quem amamos, e quando sonhamos, além de muitas saudades, desejamos, se o sonho é bom que quem morreu esteja feliz, em paz e nos braços de Deus. 


Joana D’arc Nunes de Araújo Alves Ferreira

quinta-feira, 15 de junho de 2017

POLÍTICOS OU RAÇA!!!!

Será que existe uma raça mais safada e desumana que os políticos, eu sempre escrevi e falei, isso não e de hoje, eu nunca conheci um político honesto.
Todos sem exerção, quando se elegem só vem algo a cabeça, enricar, roubar e fazer falcatruas, e obvio que sua família faça parte do rolo, seja usufruindo do luxo, ou entrando em maracutaias.
Quem quer saber se existem pessoas desempregadas, passando apuros, desabrigadas, ou morrendo à mingua, para que se preocupar se eles estão bem.
O Pior, andam roubando cada dia mais e daí? Quem vai os detê-los, se todos estão na dança dos bandidos roubando, e fazendo apostas para ver quem rouba mais, prender aonde?
E o engraçado é que agora estão todos juntos e misturados igual o mosquito da dengue, a muriçoca a chikungunya, aedes aegypti o Zica vírus, enfim todos um bando de sangue sugas que nos transmite raiva, coceiras e todo tipo de doença como a febre amarela, a depressão, o infarto e o derrame.
E sabem por que? De tanto ouvimos e vermos como que os desgraçados transformaram o Brasil com sua bela política bem administrada e elaborada no intuito de roubar prejudicar e massacrar o povo, sem saúde, emprego, moradia, desonestidade e impassibilidade de fazer o bem.
Eu não sinto vergonha de ser brasileira, e sim, sinto pena de nós o povo os menos favorecidos que não nascemos ricos.
 Nascemos e vamos morrer sem ter o direito de saber o que é viver sem dificuldades, sem ter a chance de ter um bom plano de saúde, e mais triste, muitos sem ter o que comer e aonde morar.
Enquanto que os bandidos, não me refiro só os ladrões violentos, estupradores, pedofilia que matam sem dó nem piedade, falo dos políticos, esses que nunca serão punidos.

Joana D’arc Nunes de Araújo Alves Ferreira


sexta-feira, 26 de maio de 2017

LAGRIMAS NO PARAÍSO

Lagrimas no paraíso, esse é o nome em português da música que o cantor Eric Clapton, fez após perder seu filho de apenas quatro anos, linda letra e música, não tem como não nos emocionar.
E é com muita dor e tristeza que a todo momento pais, perdem filhos de todas as idades, e quando isso acontece procuramos repostas tentando entender porque quem amamos parte antes de nós os pais, nos deixando tristes e angustiados.
 No meu caso eu perdi irmãos, marido e pai, e agora recentemente perdi alguém muito, mais muito especial mesmo, eu a vi nascer, na verdade fui uma segunda mãe.
E como dói, e para amenizar minha dor escrevo, falo, e procuro lembrar dos bons momentos que vivemos ao seu lado, Ariadne era uma menina feliz, alegre e nunca, nem a doença deixou que a dor e a tristeza a desanimasse, ao contrário, ela lutou ate o fim.
  E hoje mais que nunca eu me pergunto, o que será que existe após a morte? Muita gente quando passa por uma dor desse tipo, não se conforma, e muitos desejam até morrer, acreditando que encontrará a pessoa querida logo após a sua morte.
Mas como diz a letra, será que quem morreu se lembrará do que viveu e com quem se relacionou aqui na terra? E quem morre pensando encontrar seu ente querido, encontrará?
Perguntas sem respostas, dúvidas, incertezas, enigmas e uma única respostas, Deus, somente Deus, sabe de tudo e como irá nos acontecer, a nós cabe nos conformar e tentar seguir em frente sem reclamar e se lastimar.

 Deus é o senhor de tudo, então vamos fazer da nossa vida o melhor, e tentar viver dando o melhor da gente, porque uma coisa é certa, cedo ou tarde morreremos, e feliz daquele que morre com a alma tranquila e em paz.

Joana D'arc Nunes de Araújo Alves Ferreira.

segunda-feira, 15 de maio de 2017

COMIGO NUNCA!




 Tem coisas que você nunca pensa que irá acontecer com você, exemplo, perder alguém que você ama muito, obvio que ninguém nasceu para semente, mas nunca queremos se quer pensar nessa possibilidade, e geralmente na nossa cabeça mesmo não aceitando, os nossos pais serão os primeiros a nos deixar.
E quando alguém que mora e convive com você morre de repente, você se sente perdida sem chão, é como se nada mais tivesse importância.
O mundo desaba, e você sente tanta dor e o pior, você não faz ideia de onde vêm as dores, estou escrevendo exatamente o que aconteceu comigo á 23 anos atrás, quando eu perdi meu marido.
Hoje ao perder a minha filha do coração Ariadne, graças a Deus, eu vejo e sinto a morte de outra forma, obvio! Eu não esperava viver aquela experiência, não digo jamais, só não gostaria que estivesse acontecido agora e ainda mais com alguém que foi tão especial na minha vida.
Mais como falei, hoje vejo a morte de outra forma, e para quem estava sofrendo como a minha menina do sorriso mais lindo do mundo, sinto como uma libertação.
Em primeiro lugar, agradeço a Deus estar dessa maneira, segundo a minha menina, minha Guerreira Ariadne, estou em paz.
Eu a vi nascer e morrer, na minha cabeça e coração queria ter ido primeiro dos que eu amo, mas Deus é quem sabe da nossa hora e nosso momento, essa e a verdade.  
 A vida, o sofrimento, e, a idade nos ensina muito, antes qual quer coisa me deixava triste, com raiva, e muitas vezes ódio mesmo, hoje eu amadureci e pouca coisa me tira do sério.
E se alguém, ou alguma coisa me machuca só me vem algo a cabeça perdoar, ter paciência e conversar com Deus para tentar entender onde eu errei, porque se estou passando por algo assim, com certeza eu devo ter feito algo de errado, então cabe a mim, tentar entender onde eu errei.
Eu agradeço a Deus todo momento por ter me dado á chance de pedir perdão, perdoar e me tornar mais humana, quanto mais vivemos mais experiência e sabedoria adquirimos, já pensou morremos com raiva, ou mesmo que alguém morra nos odiando?
 Deus é maravilhoso, e, feliz de quem com o passar dos anos, consiga entender o que realmente Deus e a vida querem nos passar.
Ame, seja feliz, não tenha inveja, ódio, não seja ganancioso, e não caluniei, não faça com os outros, o que você não deseja que façam a você. 
                                                        

Joana D’arc Nunes de Araújo Alves Ferreira.

domingo, 30 de abril de 2017

SAUDADES ETERNAS.




Como queria que o final tivesse sido diferente, quando escrevi sobre a doença da minha linda Ariadne, eu juro jamais imaginei que o câncer venceria, e tudo porque via o otimismo, á fé, a esperança e a confiança que minha linda menina tinha em Deus e na sua cura.
Ela mais que ninguém sabia que não tinha chances de sobreviver, mas lutou até o fim, com garra, força e coragem e nem por um momento, ela desanimou, reclamou, ou perguntava a Deus por que com ela.
Nunca perdeu o sorriso e alegria de viver, mesmo que só por mais uns dias apenas, ela tinha só quatro meses de vida mais viveu um ano e quatro meses, e só no final, isso á um mês atrás foi se entregando, os médicos foram objetivos a diagnosticar como era grave o seu câncer, e nunca esconderem nada dela, ao contrario contaram tudo, ela só não queria que o pai soubesse.
No inicio perdeu os movimentos das pernas, ai da cintura pra baixo, e em Janeiro desse ano, a visão foi ficando ruim, em seguida a audição, era tumores na coluna torácica e lombar, mas o pior foi o da cabeça, os médicos acreditavam que ela não suportaria a primeira quimioterapia, ela fez três, depois vinte uma, radio terapia, e nas duas ultimas quimioterapia foi que ela piorou muito, foram dias difíceis, e nem assim Ariadne reclamava.  
Então na ultima segunda, Ariadne piorou muito, já não falava mais e escutava muito pouco, mas ainda assim, conseguia nos ouvir e responder apertando nossas mãos foram cinco dias internada, e finalmente minha menina do sorriso mais lindo do mundo descansou.
Deus sabe do meu coração, mas sabe também do amor e da dedicação que eu tinha com ela, talvez por isso Deus esteja me dando tanta força, e eu esteja aceitando tão bem sua morte.
Com certeza, a dor maior é dos seus pais, mas quem está ruim mesmo é o seu pai, sua mãe, a Juvelina, foi seus pés, mãos, essa foi uma Guerreira tanto quanto a filha,  só deixou para colocarem no caixão, ficou com ela ate seu ultimo suspiro, continua firme e forte, porque tem alguém que precisa muito da sua força, coragem e do seu amor mais que tudo, seu neto o filhinho da Ariadne que tem seis anos.
Sempre me refiro á Ariadne como Guerreira, sabe por quê? Ela sabia da gravidade do seu problema, e nunca desistiu de lutar, e desistiu, isso quando viu que não tinha mais solução mesmo.
Mais estava linda, serena, e com uma paz no seu semblante nem parecia morta, parecia dormindo tranquila e com a certeza que tinha cumprido sua missão aqui na terra.
Meu amor, minha filha do coração, que você encontre sua paz, e ai no céu, você esteja bem feliz com seu anjo da guarda, e papai do céu te dando carinho e todo amor possível.
E aqui na terra, nós continuaremos tristes e com saudades, mas certos que fizemos de tudo pela sua felicidade, te amarei eternamente meu amor, Ariadne Lopes de Farias.
Joana D’arc Nunes de Araújo Alves Ferreira.